Está Aqui
Home > Turismo > A não perder > Festival de música ‘Douro Rock’ em agosto com cartaz 100% português

Festival de música ‘Douro Rock’ em agosto com cartaz 100% português

festival-de-música-Douro-Rock-em-agosto-com-cartaz-100-português

GNR, Blind Zero, Linda Martini, Capitão Fausto ou Bed Legs estão entre os protagonistas do ‘Douro Rock’, um festival de música 100% português, que irá ‘invadir’ as margens do Rio Douro a 11 e 12 de agosto.

“Estimamos que passem pelo festival cerca de 20 mil pessoas. O nosso objetivo é encher o recinto e que as pessoas usufruam da música e da paisagem”, referiu Miguel Candeias, da organização do ‘Douro Rock’.

A segunda edição deste festival, que terá lugar no Peso da Régua, foi pensada para “permitir que as novas gerações da música nacional se cruzem com nomes mais consagrados”.

“GNR, Blind Zero, Linda Martini, Capitão Fausto, You Can’t Win Charlie Brown, Marta Ren, Piruka e Bed Legs são os protagonistas dos dois dias de música, numa das paisagens mais bonitas do mundo: o Douro”, acrescentou.

De acordo com Miguel Candeias, pop, rock, indie, funk, soul e hip-hop estarão representados no ‘Douro Rock, que terá um bilhete único para os dois dias.

“O bilhete tem um preço bastante apelativo para festival: são 10 euros para os dois dias. Estamos a encarar isto como uma partida de futebol, em que as pessoas têm direito a ver as duas partes do jogo de futebol”, apontou.

O promotor do ‘Douro Rock’ revelou ainda que esta segunda edição do festival contou com um ‘upgrade’, uma vez que “os municípios do Douro associaram-se ao evento”.

“Para além da música, vamos ter também uma mostra de produtos da região demarcada, entre os quais os vinhos. Vamos mostrar o que de melhor se faz e produz na região”, informou.

A primeira edição do Douro Rock, em 2016, contou com Pedro Abrunhosa & Comité Caviar, Richie Campbell, Mundo Segundo, Sam Alone, Serushio, Capitão Mocho, Ledderplain e Sons do Douro.

“No ano passado andámos pelas cinco mil pessoas. Foi a primeira edição, preparada em muito menos tempo, apenas em quatro meses. Achamos que este ano temos mais do que pernas para andar e este é um festival para continuar”, concluiu.

Top