Está Aqui
Home > Turismo > Experiências > Comida, vinhos e o resto é paisagem: o comboio presidencial regressa ao Douro

Comida, vinhos e o resto é paisagem: o comboio presidencial regressa ao Douro

comida-vinhos-e-o-resto-e-paisagem-o-comboio-presidencial-regressa-ao-douro

Em 2017, o evento que põe o antigo comboio presidencial nos carris da Linha do Douro cresce em duração, distância percorrida e chefes convidados. Eis as novidades do The Presidential em primeira mão.

É raro, muito raro até, ter um chefe de um restaurante com três estrelas Michelin a cozinhar em território nacional. Mas é precisamente isso que vai acontecer na edição deste ano do The Presidential, o evento que, pelo segundo ano consecutivo, levará o antigo comboio presidencial a percorrer a incrível Linha do Douro, com gastronomia e vinhos à mistura . O chefe em questão é o dinamarquês Esben Holmboe Bang, do Maaemo, um dos mais jovens de sempre (e o mais jovem da atualidade) a conseguir a distinção máxima do guia dos pneumáticos.

Mas essa é apenas uma das novidades que o Observador revela em primeira mão. A edição de estreia — que antecipámos neste artigo — durou dez dias e teve o chefe Dieter Koschina, do Vila Joya, na cozinha. Pois bem, esta vai durar 17, ao longo do mês de maio, e ter cinco chefes responsáveis pelo menu de degustação de 4 pratos a ser servido em cada viagem, todos eles com estrela Michelin nos respetivos restaurantes. Gonçalo Castel-Branco, mentor e responsável pelo evento, adianta para já apenas dois nomes, o supracitado Esben Holmboe Bang, que cozinhará na primeira semana (de 3 a 7) e o portuense Pedro Lemos (a 10 e 11 de maio). E justifica as suas escolhas:

“O Esben, além das estrelas, que pesam como é óbvio, é um apaixonado pela natureza e pelos produtos locais, e isso interessa-me porque quero que ele venha trabalhar com os produtos de cá. O Pedro é um tipo que tem todo o cuidado na estética mas a comida dele sabe a comida do Norte, não é algo que se pudesse encontrar num restaurante fora daqui. E noto sempre que ele tem uma imensa alegria em cozinhar, o que é importante porque isto é um evento que também vive da interação com quem está no comboio.”

E o percurso também cresce. Se no ano passado a viagem fazia-se entre a estação de São Bento, no Porto, e a do Pinhão, já no Douro Vinhateiro, agora prossegue até à belíssima Quinta do Vesúvio, onde acontecerá uma prova de vinhos do Porto da Graham’s. Isto quer dizer que, desta feita, o comboio passará pelas duas margens do rio, permitindo a todos os convidados, seja qual for o seu lugar no comboio, desfrutar de vista direta para o dito.

A viagem de volta até ao Porto também foi alvo de planeamento redobrado: na carruagem-bar haverá música ao vivo e uma outra será transformada em salão de chá. De resto, o mote mantém-se. “O nosso objetivo número um é promover a ferrovia e o romantismo associado a isto. E este projeto parte sempre deste comboio, que é património nosso”, explica Gonçalo.

Já é possível comprar bilhetes através do site do evento. Cada um custa 500€ por pessoa — as empresas podem adquirir carruagens ou até o comboio inteiro — para o programa que dura das 10h45 às 20h30: inclui a viagem São Bento – Quinta do Vesúvio – São Bento, o menu de degustação de 4 pratos, a harmonização de vinhos, o acesso à Quinta do Vesúvio, a prova de vinhos do Porto, bar com música ao vivo, salão de chá e um gift bag com um livro de coleção autografado pelo chefe responsável nesse dia.

Top